pedro_tharg’s Diary | Sugestão de tags para serem utilizadas no mapeamento de vegetação da Caatinga

neub9
By neub9
5 Min Read

“`html

Meu nome é Pedro Ricardo, sou mapeador voluntário para o OpenStreetMap desde 2021 e estudo Meio Ambiente. Contribuo principalmente com o mapeamento de regiões próximas ao Curimataú paraibano.

Este texto trata de uma sugestão de tags a serem usadas para descrever vegetações do bioma Caatinga. Decidi escrevê-lo porque não encontrei material suficiente que orientasse como caracterizar sua vegetação, tanto nos grupos do OSM quanto na Wiki.

O bioma Caatinga é endêmico do Brasil, ou seja, não existe em nenhum outro país e apresenta espécies únicas. Compreende a maior parte da região Nordeste brasileira e possui várias variações (fitofisionomias), o que torna difícil generalizar e simplificar suas características vegetais. As variações são tantas que estudiosos preferem trabalhar com o termo caatingas, no plural.
No entanto, com o objetivo de facilitar o mapeamento, busquei encontrar atributos já existentes no OpenStreetMap para destacar sua individualidade em relação aos outros biomas sem desconsiderar suas peculiaridades. As justificativas para o uso são apresentadas ao longo do texto.

A imagem abaixo mostra um mapa dos tipos de vegetação original no Brasil segundo o IBGE (2004). Como podem observar, a savana estépica compreende a maior parte do semiárido brasileiro e pode ser considerada um sinônimo aproximado de caatinga, como destacado aqui.
Mapa da distribuição dos tipos de vegetação original do Brasil - IBGE 2004

Minha sugestão é que as características dessa vegetação sejam representadas no OpenStreetMap com maior frequência em relação a outras fisionomias do bioma. A savana estépica também é conhecida como vegetação decidual espinhosa, o que significa que as plantas perdem suas folhas em um determinado período. Na caatinga, isso ocorre durante os meses de estiagem. O OSM já possui uma tag e um valor específicos e documentados para isso: leaf_cycle=deciduous.

Portanto, acredito que esse valor é fundamental para todas as regiões mapeadas como vegetação de caatinga para que seja possível diferenciá-la de outros biomas.

No entanto, esse valor precisa ser utilizado acompanhado de outras tags como natural=scrub e natural=wood. Minha recomendação é utilizar com mais frequência a tag natural=scrub (matagal), pois na própria wiki em português há um destaque:

O que a difere de uma floresta ou bosque é a possibilidade de, em geral, toda a vegetação poder receber luz solar, sem ter de ficar sob uma copa de árvores impenetrável pela luz.

Essa característica é frequente nas caatingas, além de que, na definição de natural=wood, fica claro que se trata de uma área totalmente coberta por árvores altas que dificultam a passagem da luz solar para plantas menores:

Description
Área coberta por árvores (uma ‘floresta’ ou ‘bosque’)

Além disso, a definição em inglês de natural=scrub inclui arbustos, herbáceas e geófitas que também são comuns na Caatinga. Outra tag que deve ser utilizada é a leaf_type, pois nos permitirá diferenciar algumas fisionomias existentes dentro do bioma.

Em resumo, minha proposta é agregar as fisionomias em pelo menos três categorias, pois é o que encontrei ser possível com as tags já existentes no OSM:

  • natural = scrub; leaf_cycle = deciduous; leaf_type = broadleaved deveria corresponder à maior parte das vegetações no bioma, pois essas características correspondem à vegetação savana estépica. Uma imagem de exemplo é usada abaixo:
    20210909_085852

  • natural = scrub; leaf_cycle = deciduous; leaf_type= leafless para regiões com predominância de cactáceas e bromélias como facheiros, xique-xiques, macambiras, mandacarus, etc. Os valores scrub e deciduous correspondem à vegetação arbustiva, herbáceas, ou mesmo árvores que podem estar presentes mas não são o ponto de destaque na paisagem.
    Imagem abaixo:

Facheiro.JPG

  • natural = wood; leaf_cycle = deciduous; leaf_type = broadleaved para regiões de caatinga densamente arborizadas como as encontradas na Serra das Almas no Ceará. Esses valores podem entrar em conflito com valores atribuídos à Floresta Estacional Decidual presentes nos biomas Mata Atlântica e Cerrado, mas abarcam suficientemente as individualidades dessa fisionomia na Caatinga.

Serra dos Tucuns CE.jpg

Enfim, qualquer sugestão é bem-vinda e pesquisar sobre o assunto foi muito gratificante para mim!

“`

Share This Article
Leave a comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *